Compartilhe:

O acesso à internet rápida chegou a 15,94% dos lares brasileiros em dezembro de 2008, contra 13% em junho do mesmo ano

O Brasil fechou 2008 com 11,82 milhões de conexões de banda larga (fixa e móvel). O número representa um crescimento de 45,9% em comparação com o ano de 2007.

A taxa de crescimento deve continuar acelerada. A expectativa é que 15 milhões de conexões rápidas estejam em funcionamento até o fim de 2010. As previsões estão na 11a. edição do Barômetro Cisco da Banda Larga, realizado pela consultoria IDC e divulgada nesta terça-feira (17/03).

De acordo com o estudo, a banda larga fixa somou 9,83 milhões de conexões em dezembro de 2008, um crescimento de 12,6% em relação à última edição do Barômetro, concluída em junho de 2008, e de 31,2% em uma comparação ano a ano.

Já a banda larga móvel garantiu um bom desempenho e respondeu por 16,8% do total de conexões. Essa modalidade cresceu 51,3% no segundo semestre de 2008, chegando a 1,98 milhão de conexão.

De acordo com o estudo, o acesso à internet rápida no Brasil chegou a 15,94% dos lares brasileiros em dezembro de 2008 contra 13% em junho do mesmo ano.

Cresce com a Crise

Para Mauro Peres, presidente da consultoria IDC, esse crescimento se dá em função da maior oferta de provedores de serviços e da redução de impostos para computadores que custam menos de R$ 4 mil. “O mercado de banda larga está atrelado ao de computadores. Porém, com a crise, só o primeiro deve continuar crescendo”, afirma Peres. “Claro que com índices menores do que os 30% alcançados nos últimos dois anos”, diz.

O estudo analisa apenas o número de conexões, mas não especifica a quantidade de usuários que têm acesso a esse tipo de tecnologia. “Em uma casa com banda larga pode ter um número variável de internautas”, diz o consultor.

Mais Velocidade
A pesquisa ainda destaca o aumento de uso de aplicações de vídeo e música como catalisador para o crescimento da velocidade de acesso de 1 MBps a 1,99 MBps, e nas superiores a 2 MBps. No final do ano passado, as conexões acima de 1 Mpbs já respondiam por 33,73% do mercado (20,66% de 1 Mbps a 1,99 Mbps; 13,07% acima de 2 Mbps).

Hoje, a penetração da internet rápida no Brasil é de 5,2% a cada 100 habitantes, de acordo com o estudo. Esse índice é inferior ao registrado em países como Uruguai em que chega a 7,8% e o Chile com 8,5%.

Via: Época Negócios

Write A Comment