Compartilhe:

Na semana passada eu postei um artigo sobre a importância da orientação dos colaboradores de como proceder nas mídias sociais, estava lendo agora o artigo escrito por Risoletta Miranda para o Blog do Noblat, repare a semelhança.

Temos as empresas se envolvendo na “orientação” dos profissionais para que não se exponham de maneira incorreta, pois isso pode colocar suas carreiras em risco, ou a até mesmo afetar a imagem da marca para a qual trabalham. De outro lado temos a família como alicerce para esclarecimento dos riscos que se corre ao não ter medidas na utilização das mídias sociais.

Repare que interessante, como é preciso sutileza para lidar com isso. Muitos gestores se sentem compelidos em censurar seus colaboradores. Muitos fiscalizam e determinam o que pode e o que não pode ser dito. Essa censura já provoca desconforto nos profissionais, agora imagine o desconforto que pode causar no seu filho de 12 anos. Ele quer se expressar, quer comunicar ao mundo todo o que ele pense, o que quer, seus sonhos e revoltas…

Eu tenho um perfil no Tumblr onde posto fotos, imagens, músicas, enfim, é um microblog para compartilhar de maneira rápida nossos interesses, descobertas na internet, emoções e pensamentos. Como acontece com todas as redes, no Tumblr é grande o número de participantes da Geração Z. É lindo como tenho percebido as transformações na psicologia e comportamento dessa nova geração. Coisas que eram foco de extremo pudor para gerações anteriores, para a galera mais jovem é permitido, é tudo livre, é tudo permitido e compartilhado. Essa liberdade pode ser muito boa ou muito prejudicial, o caminho que isso tudo vai tomar depende de todos nós, como pais e educadores.

Em resumo, para que possamos contribuir de maneira positiva, temos que nos envolver no processo, temos que interagir e compartilhar, compreender e não apenas censurar ou julgar.

Write A Comment