Compartilhe:

Você é uma marca. O que você expressa como sua imagem cria a percepção que os outros tem de você, ou, em outras palavras seu “valor percebido”. Nós escolhemos amigos assim, mas o mais importante para quem busca uma oportunidade de emprego é que as empresas buscam os melhores funcionários avaliando a sua marca.

É a oportunidade de sair na frente de nossos concorrentes. Se você é jovem e apenas começando a perceber quem você é, aqui está o que é preciso para prevalecer nestes tempos onde ser seguido nas mídias sociais pode ser a sua maior bênção ou a sua maior maldição.

Bem como uma organização é avaliada pelo seu logo, seus escritórios e outras manifestações físicas, que são julgadas por sua aparência, assim como uma organização vive por crenças, ou uma missão, você viver de acordo com sua moral e valores, e assim como uma organização se preocupa com as empresas com quem ela te relaciona, você também deve fazer o mesmo com seus contatos.

Podemos não gostar da ideia “julgar um livro pela capa”, mas todos nós fazemos isso o tempo todo. E, é mais simples hoje com as mídias sociais. Os óculos de sol que você está usando vão dizer às pessoas o que você representa, assim como o relógio no pulso explica seu gosto. Mas no mundo de hoje, onde nós gastamos mais tempo online criando posts de informação sobre o que nos impulsiona, as pessoas são rápidas em nos julgar.

Todos nós podemos ser achados na Internet. Sim através do Google, mas existem outras ferramentas que são muito mais pessoais hoje em dia. É claro possuir domínios que levem o seu nome é um primeiro passo. A partir do seu blog, no seu perfil do Google todo o caminho para sua página do Facebook, a consistência é a chave para delinear-se de qualquer outro Fulano lá fora. Mas vai muito além disso. A educação é a chave para saber o que publicar e o que não publicar. Gerações mais jovens ainda não estão conscientes disso.

Conectividade móvel faz com que seja difícil para nós não postar tudo online. “Estou frustrado com isso”, ou “que se dane aquilo” podem ajudar a iniciar um movimento social. Ou dependendo de como é enquadrado, pode fazer você parecer um arrogante ou idiota. Lembra quando você escreveu um blog sobre quão terrível a sua ex-namorada foi e por que as mulheres são inferiores aos homens? Sim, ainda está lá.

Ao ver-se como uma marca, você está sendo realista e se preparando para o sucesso.

Assim, dado o uso intenso das mídias sociais pelos que tem menos de 35 anos de idade, estão aqui 10 perguntas para pensar quando se manifestar na Internet:

1 – Se eu publicar alguma coisa agora, as pessoas vão poder ler mais tarde?
2 – Eu vou me sentir da mesma maneira sobre isso no prazo de um ano?
3 – Eu fiz um bom trabalho promovendo a minha experiência, e não apenas mostrando opinião?
4 – Eu quero me promover, tanto quanto eu acho que eu deveria ou devo pisar no freio?
5 – Eu sou coerente com a minha mensagem?
6 – Eu fiz uma boa busca online para saber o que está sendo dito sobre mim, ou o que eu disse no passado?
7 – Eu tenho um valor real para adicionar a um assunto?
8 – Eu fiz minha pesquisa sobre os tópicos que eu vou discutir?
9 – Que tipos de fotos são públicas e são ofensivas?
10 – Eu verifiquei se cometi algum erro de gramática?

Texto por Adam Schreiber

Via Social Media Today

Write A Comment