Compartilhe:

Estudo revela também que grande parte das empresas norte-americanas e europeia, planeja iniciar monitoramento para coletar informações sobre consumidores.

Pesquisa recente encomendado pela IBM Share mostra que apenas 25% das companhias armazenam dados de redes sociais com fins corporativos, apesar de muitas estarem planejando começar a fazer isso em futuro próximo.

O estudo, realizado pela Unisphere Research e patrocinado pela Marist University e pela Big Blue, descobriu que mais da metade das empresas norte-americanas e europeias entrevistadas planeja investir mais em ferramentas de business intelligence relacionadas a redes sociais nos próximos um ou dois anos.

“Redes e grupos sociais estão criando grandes conjuntos de dados que agora permitem que empresas e organizações tenham vantagem competitiva e melhorem seu desempenho. Essas informações fornecem insights importantes sobre o comportamento do cliente, reputação da marca e da experiência geral do consumidor”, disseram pesquisadores no estudo.

A adoção de padrões para a tecnologia formam uma “clássica curva de bell”, acrescentaram, já que existem os primeiros usuários e os retardatários.

SaaS (Software como Serviço) e ferramentas de mídias sociais baseadas na nuvem provavelmente terão uma absorção mais lenta. Apesar de apenas 15% dos entrevistados terem indicado que planejam adotar tais sistemas no ano que vem, o número deve crescer nos próximos dois ou três anos.

A relativa juventude das tecnologias envolvidas dificulta a identificação de tendências conclusivas em volume de dados, hospedagem e em outras áreas, segundo os pesquisadores. Esse é um padrão que já foi usado antes, e que contribuiu para a atual incerteza em partes do mercado na nuvem em particular.

Via Computerworld

Write A Comment