Compartilhe:

Especialistas em redes socais de diversos segmentos econômicos, reunidos durante o Web Expo Forum, em São Paulo, compartilharam seus conhecimentos e geraram um rico quadro com visões diferentes em alguns pontos e convergentes em outros. Entre os pontos convergentes, há a constatação de que marcar presença nas redes sociais e tirar proveito de suas inovações e características colaborativas deixou de ser opção e passou a ser mandatório para os negócios.

“Estamos vivendo a sociedade do conhecimento, que se caracteriza por informações disponíveis e organizadas, infraestrutura de compartilhamento, pessoas conectadas, vida pessoal e vida corporativa unificadas e relacionamentos irrestritos”, diz Marcos Puccini, responsável pelo negócio by You, rede social corporativa da TOTVS. Puccini avalia que o grande desafio para os negócios, agora, é pensar o ambiente de rede social e saber se a empresa está preparada para atuar nesse contexto.

O executivo da by You alerta para um equívoco cometido por muitas empresas, que é restringir a sua estratégia de mídias sociais à mera criação de um departamento ou equipe dedicada. “É preciso entender esse movimento de grandes transformações gerado pelo nascimento de um indivíduo colaborativo cuja opinião já interfere nas decisões dos negócios. É preciso criar na empresa uma cultura colaborativa que se baseie em aspectos como relevância, abertura e reconhecimento”, afirma.

A relevância – ele explica, é obtida por meio de forte apoio do “sponsor” da estratégia. “O CEO é o sponsor e também atuante na colaboração”, diz ele, destacando que a criação da cultura colaborativa requer dos executivos total abertura a críticas e também reconhecimento, que ele define como “a avaliação contínua das lideranças emergentes pela colaboração.”

Com base em sua experiência no atendimento a grandes marcas, Puccini destaca como principais benefícios da adesão bem sucedida a redes sociais a melhoria na comunicação, o compartilhamento do conhecimento e da experiência e o uso da rede como ferramenta para medir sentimentos e climas na organização e para identificar lideranças informais. “Trata-se de um terreno fértil para inovações”, diz.

Uma estratégia de mídias sociais envolve uma série de conceitos interligados, entre os quais o especialista destaca gestão do conhecimento organizacional, segurança e autenticação, mobilidade, integração com processos e sistemas de gestão e gestão estratégica e social de recursos humanos, entre outros.

Para quem está disposto a apostar na tendência, ele sugere a seguinte trilha a ser percorrida:

  • Estude o modelo atual e defina os objetivos e direcionadores da empresa com a implantação da rede;
  • Analise o ambiente organizacional, ferramentas, processos e defina o plano de mudança;
  • Dissemine a cultura colaborativa para garantir o engajamento na rede;
  • Implante o novo ambiente, incluindo as modificações nas equipes, processos e sistemas;
  • Acompanhe e faça as medições do engajamento na rede, e reforce a cultura colaborativa na empresa.

Via TI Inside

Write A Comment