Compartilhe:

Antonio Moraes, gerente geral de soluções de negócios da Microsoft Brasil, atribui o processo de sociabialização da web a outro conceito, o de consumerização.  Se na época no mainframe, o computador era dividido por diversos profissionais, passando, posteriormente, para mundo de uma máquina por usuário, agora o que se vê são inúmeros dispositivos nas mãos de apenas uma pessoa. “A Microsoft entende esse respeito a multiplataformas e acredita que as soluções devem atender qualquer tipo de plataforma”, pontuou.

Além de ver o formato de comunicação de dentro para fora da organização, assim como Flávio Mendes, executivo de Social Business da IBM América Latina, a companhia olha o potencial de colaboração e comunicação que usuários corporativos podem ter não somente dentro de um mesmo departamento, de múltiplas áreas da empresa. “A ideia é como reduzir e eliminar barreiras de comunicação para que a companhia possa se entender melhor”, contextualizou, sugerindo como exemplo as ferramentas Microsoft CRM  Dynamics, SharePoint e o Office 365, que é o pacote de produtividade de marca completamente em cloud computing.

Inclusive, a próxima edição do Dynamics, que deve chegar ao mercado em junho deste ano, virá, assim como a IBM, com o conceito de rede social. o ambiente ficará todo integrado com redes sociais por meio de uma melhoria na funcionalidade actitivy feeds, lançada no ano passado com o Dynamics CRM 2011. “A pessoa terá uma home page como se fosse uma rede social, permitindo a colaboração em tempo real”, explicou. Desde o ano passado, o ciclo de atualização da ferramenta  passou a ser semestral, em vez períodos maiores, como uma vez ao ano, exatamente por  conta da atualização dinâmica do movimento de interação entre as pessoas, o que impacta diretamente nas soluções.

“Queremos desmistificar que Facebook e Twitter são únicos canais de atendimento. Eles  merecem sim regras adequadas, até porque o volume  de informação é enorme e a empresa se expõe de forma muito automática, mas eles são adicionais. Acreditamos no poder de escolha. De nada adiantava ter uma boa visão em um determinado canal e uma visão aprcial ou limitada em outro canal. Você atende um cliente em um ambiente web de uma forma, mas se ligar, tem que ser a mesma. Com a evolução disso para mídias sociais, vem complementar essa visão do cliente, vemos como complementar e não como limitante. É um canal adicional, porque existe todo tipo de cliente.”

CRM Social: plataformas são integradoras de dados

CRM Social: isca ao consumidor é segunda onda do movimento

Via IT Web

Write A Comment