Compartilhe:

Uma nova edição do Índice de Segurança Unisys, pesquisa semestral que mede a percepção da população sobre diversas áreas da segurança, aponta que mesmo após recentes ataques hackers noticiados pela Imprensa, a preocupação dos brasileiros com a segurança na Internet caiu 38 pontos em relação a 2011. De acordo com a apuração atual, o tema Segurança na Internet registrou pontuação de 117 em 2012 ante 155 no primeiro semestre de 2011, 146 em 2010, 149 em 2009 e 135 em 2008 – representando, portanto, o mais índice baixo já registrado no país nos últimos cinco anos. A escala de pontuação vai até 300 pontos.

O levantamento foi realizado em 12 nações. O Brasil apareceu em oitavo lugar no ranking das que mais temem a segurança na web. Antes dele, ocuparam as primeiras posições: Colômbia, México, Hong Kong, Alemanha, Nova Zelândia, Bélgica e Estados Unidos, respectivamente. Os países menos preocupados com o assunto, que integraram a nona, décima, décima primeira e décima segunda posição foram Espanha, Austrália, Inglaterra e Holanda.

Em comparação com a pesquisa realizada durante o primeiro semestre de 2011 no Brasil, o número de entrevistados que se disseram “seriamente preocupados” com a segurança de computadores, incluindo vírus e spams, diminuiu significativamente, de 60% no ano passado para 45% neste ano.  Paralelamente, 33% dos brasileiros ouvidos em 2012 afirmaram não se preocupar com o tema, contra 13% no ano anterior.

Ainda de acordo com o levantamento feito este ano, 43% dos respondentes no Brasil afirmaram estar “muito preocupados” com a segurança durante a navegação e transações em lojas online e internet banking. Em 2011, 54% dos entrevistados disseram que se preocupavam seriamente com o assunto.

O Índice de Segurança Unisys também avaliou a percepção dos brasileiros nas áreas de segurança financeira, segurança pessoal e segurança nacional. A pontuação global do Brasil – abrangendo as quatro divisões da segurança pesquisadas, inclusive na internet – foi de 176 pontos no Índice, o quarto mais alto entre os 12 países pesquisados.

Para o levantamento, foram entrevistadas 10 mil pessoas abrangendo todas as nações participantes. No Brasil, foram ouvidas 934 pessoas, porta-a-porta, em 70 grandes áreas metropolitanas de todo o País no período de 20 de fevereiro a 12 de março de 2012.

Via B2B Magazine

Write A Comment