Compartilhe:

Social Commerce é um termo usado para descrever qualquer atividade online onde os consumidores falam sobre os produtos ou compram em um ambiente social. Ou seja, podemos utilizar a influência do boca a boca no comércio eletrônico.

Este termo engloba uma variedade de técnicas. Pode se manifestar como uma consciência de marca, através de campanhas que incentivam os consumidores a falarem sobre as marcas ou recomendá-las. Pode vir através do compartilhamento de incentivos, descontos ou ofertas nas mídias sociais. Pode ser construído em um site de varejo em si, através de funções de recomendação social, como exemplo a Amazon, ou comentários. Ou pode ter até mesmo a ver com a forma como a transação seja concluída – o estilo de compra coletiva é muitas vezes classificado como social commerce. Não se limita aos operadores online, o social commerce está sendo utilizado também pelos varejistas tradicionais.

Usar o gráfico social para envolver os consumidores onde quer que estejam, criar laços mais pessoais, experiências acessíveis, e amplificar o boca a boca, tudo isso, pode ser agrupado sob o guarda-chuva do social commerce.

Start-ups e agências estão surgindo, fornecendo softwares e plataformas para social commerce. Aqui estão 10 exemplos de social commerce em ação, e algumas das melhores plataformas, que sintetizam a abordagem.

Coca-Cola
Assim como eles fazem offline, os varejistas estão indo em direção a áreas com bastante tráfego online. Em vez de esperar para que os clientes venham até eles, eles estão indo para o local onde mais de 800 milhões de consumidores não estão apenas gastando seu tempo, mas que partilham as suas opiniões, recomendações e, em alguns casos fazem até compras – Facebook. Com uma grande marca por trás e uma vitrine bem elaborada para gerar confiança, a Coca-Cola encontrou um lugar no mercado global para seus produtos, estendendo a sua linha de produtos de uma forma séria.

Chirpify
Chirpify transforma tweets em transações, permitindo que consumidores e empresas comprem, vendam, doem e realizem transações no Twitter. Para realizar os comandos, os usuários utilizam tweets simples, como ‘buy’, ‘pay’ e ‘donate’. Para as marcas o processo é simples. Primeiro, crie e tweet sua oferta com uma imagem do produto. Em seguida, os compradores respondem com a palavra ‘buy’, e se eles estiverem registrados, a transação é processada automaticamente. Os usuários podem se conectar a sua conta do PayPal para que o dinheiro seja automaticamente deduzido. O sistema também tem sido usado por instituições de caridade e campanhas políticas nos EUA.

Shopon
Shopon se integra em sites de comércio eletrônico, permitindo ao varejista incentivar o compartilhamento de compras e produtos no Facebook. Cupons e outros incentivos oferecidos no site do varejista incentivam os clientes a compartilhar e vendas com tempo limitado e mecanismos de games também podem ser administrados. O software controla cliques, posts no Facebook, comentários e likes, e o resultado das vendas. Os dados coletados através dos varejistas que se inscreveram para o serviço mostrou que para cada 100 ações no Facebook, foram realizadas 123 visitas a um site de varejo e 10,4 vendas foram feitas.

Bazaarvoice
Bazaarvoice, é uma agência de social commerce, oferece uma plataforma que integra votações, comentários e consultas em sites de comércio eletrônico. Fornecer comentários no próprio site tem sido uma estratégia bem sucedida em dar os compradores a confiança de ter um terceiro a recomendar o produto, e também fornece a marca uma oportunidade de interagir com os usuários e aprender com seus comentários.

Amazon
A gigante do varejo online é mestre de recomendação social, graças em parte ao número de clientes que tem se conectado via Facebook. Observando amigos do Facebook, datas de aniversário e sugestões, títulos populares, livros favoritos, músicas e filmes.

ShoeDazzle
ShoeDazzle foi um dos primeiros a adicionar o botão Like para os produtos em seu site e no primeiro mês teve milhares de pessoas curtindo seus principais produtos. O varejista de calçados femininos também permite que as pessoas façam login usando o Facebook. O site desde então acrescentou o botão Pin para que os usuários possam compartilhar produtos no Pinterest.

Macy’s
Magic Fitting Room da Macy’s ajudou na hora de “experimentar” as roupas, um grande espelho que interage e permite aos clientes navegar, fazer compras e experimentar a roupa virtualmente. Os clientes podem enviar os seus favoritos a partir da sala virtual para obter feedback de amigos, ou guardá-las para ver na loja física.

Eventbrite
Eventbrite revolucionou o modelo de vendas de ingressos. O lema é “eventos são inerentemente sociais”. Quando as pessoas compram ingressos para um evento, elas querem compartilhar a experiência e as notícias com os amigos. Os combustíveis da web social são as conversas e as comunidades que surgem em torno de eventos.

Sephora
A Sephora incentivou o compartilhamento de vídeos das pessoas relatando suas experiência de compra. O canal da marca no Youtube tem uma série de vídeos de clientes, com relatos, possibilitando comentários e compartilhamento.

LocalResponse
LocalResponse é uma plataforma de publicidade social que agrega posts públicos e “check-ins” através de múltiplas plataformas para ajudar marcas e empresas a identificar intenções e respondê-las. Segmentação de dados, tais como, comportamentais, demográficos. LocalResponse é capaz de identificar onde alguém está e que está dizendo sobre isso. Os comerciantes podem agir em tempo real com ofertas exclusivas ou cupons via celular no ponto-de-venda.

 

Você já incorporou o social a suas vendas? O que achou desses exemplos? Envie seus comentários e emails.

Via Marketing Mag

 

2 Comments

Write A Comment