Compartilhe:

Não é segredo que os princípios da Psicologia fazem parte do Marketing. A Psicologia indica quais cores têm maior probabilidade de chamar a atenção dos potenciais clientes ou quais os pontos que você deve focar para despertar interesse na sua mensagem. Quanto mais você souber sobre como a mente funciona, mais você poderá tomar decisões informadas. Veja nesse post 5 dicas da Psicologia para o Marketing de Conteúdo.

Usar a Psicologia para planejar seu Marketing de Conteúdo não é apenas um truque. O desafio está em traduzir conceitos psicológicos muitas vezes complexos em etapas simples que podem gerar decisões do mundo real. Aqui estão cinco princípios psicológicos que podem ajudá-lo a criar material de Marketing mais eficaz.

É improvável que você precise aplicar cada insight desse a cada projeto seu, mas ter esses insights em mente será útil quando você quiser criar um conteúdo que converta.

1. Reciprocidade

De acordo com o princípio da reciprocidade, nos sentimos compelidos a oferecer algo em troca ou a agir quando percebemos que os outros nos ajudaram.

Você provavelmente já viu esse princípio em ação se um amigo fez um favor. Mesmo que você saiba que o favor foi sem outro interesse em troca, você provavelmente ainda sentirá o incômodo desejo de retribuir seu amigo de alguma forma.

Essa ideia é a mais conhecida no Marketing de Conteúdo. Aplicar esse princípio à sua estratégia de Marketing de Conteúdo pode parecer fácil, mas há duas advertências importantes a serem lembradas:

Ofereça conteúdo que as pessoas realmente desejam.

Se você está distribuindo conteúdo simplesmente por ouvir dizer que é importante, há uma boa chance de que sua oferta não seja forte o suficiente para inspirar sentimentos de reciprocidade.

Em vez disso, planeje seu conteúdo em torno dos pontos de dor do seu público e dê a eles o suficiente para que eles se sintam compelidos a realizar uma ação quando você apresentar a oportunidade na frente deles.

O valor do conteúdo deve ser proporcional ao peso da ação que você deseja das pessoas.

Se tudo o que você está pedindo para as pessoas fazerem é informar um endereço de email, você não precisa oferecer muito conteúdo gratuito para criar a força de reciprocidade necessária. Mas se você está pedindo aos visitantes do site que preencham formulários com 5 ou mais perguntas… É melhor você ter certeza de que o conteúdo que você oferece é percebido como valendo essa troca; caso contrário, você corre o risco de deixar um gosto ruim na boca de seus possíveis clientes.

Avalie com calma o tipo e o valor do conteúdo que você vai distribuir gratuitamente de acordo com a ação desejada. Se você doar muito pouco, você não alcançará suas metas de conversão. Mas entregar demais pode ser tão ruim quanto.

Reciprocidade com Conteúdo Gratuito

2. Fluência Cognitiva

A fluência cognitiva é a facilidade com que processamos informações para gerar uma compreensão do que essa informação significa. Essa facilidade ou dificuldade não se refere apenas à experiência de uma tarefa ou instrução em si, mas ao sentimento que as pessoas associam a essa tarefa.

Aspectos aparentemente insignificantes podem ter efeitos surpreendentes nas percepções e no comportamento dos clientes. Se a informação é feita para parecer simples, somos mais naturalmente receptivos a ela. Se parecer complexa, provavelmente será adiada. Em geral, tudo o que afeta a facilidade ou a dificuldade do processamento mental pode afetar a percepção das pessoas sobre sua marca.

Fato é que os humanos preferem consumir conteúdo simples e evitam informações que pareçam complicadas. Isso é fluência cognitiva.

É por isso que as pessoas adoram emoticons.

Eles comunicam uma emoção ou um conceito de maneira simples e extremamente rápida.

A fluência cognitiva vale para tudo, desde legendas no Instagram até postagens em blogs – quanto mais fácil for o seu conteúdo, mais provável será prender seu público e mantê-lo envolvido. Ao primeiro sinal de complexidade, eles vão fugir.

3. Prova Social

A prova social é um fenômeno psicológico que leva uma pessoa a adotar as crenças ou imitar as ações de um grupo social que gosta ou confia. Isso pode ser aplicado no Marketing de Conteúdo de várias maneiras.

As pessoas se importam com número de seguidores em redes sociais por isso.

Muitos seguidores, muitas curtidas e muitos compartilhamentos indicam que muitas pessoas gostam e confiam na sua marca.

Pense nos seus padrões pessoais de compras online. Quando você está na dúvida sobre um produto você simplesmente compra e espera chegar para ver se vai gostar? Você acessa qualquer site aleatoriamente e efetua suas compras? Ou você vai em sites que são conhecidos e sites indicados por amigos? Ou lê um vários comentários antes de fazer uma compra? Quando a página social da empresa tem apenas 10 seguidores, como você se sente em relação a marca?

De acordo com a pesquisa American Lifestyles, mais de dois terços dos consumidores confiam na palavra de amigos, familiares e até de estranhos sobre qualquer conteúdo de Marketing de uma marca.

Isso é por causa do princípio psicológico da prova social. Essencialmente significa que as pessoas são mais propensas a agir de determinada maneira quando vêem outras pessoas agindo. Seja lendo um post ou fazendo uma compra, as pessoas preferem seguir os passos de outras pessoas como elas.

Prova Social

4. Fenômeno de Baader-Meinhof

A ilusão de frequência, também conhecida como o fenômeno Baader-Meinhof, é quando você ouve falar de algo pela primeira vez e, a partir desse ponto, começa a ouvir sobre isso em todos os lugares.

Essa teoria pode ser estrategicamente integrada à sua campanha de Marketing de Conteúdo.

Se você estiver tentando reforçar uma determinada mensagem, crie várias partes do conteúdo em torno dessa mensagem e apresente-a usando ângulos diferentes em todos os seus diferentes canais. Crie várias peças de conteúdo que se misturam em uma mensagem muito maior.

Isso permite que você crie sua própria ilusão de frequência.

Para o Marketing, esse fenômeno é precisamente o motivo pelo qual a nutrição de leads é incrivelmente importante. Quando alguém começar a conhecer sua marca, você quer que essa pessoa te veja “em todos os lugares”. Então você envia emails com consistência, cria anúncios de retargeting com base em seu comportamento, entre outras ações.

5. Psicologia das Cores

Estudos indicam que as pessoas julgam um novo produto dentro de 90 segundos após observá-lo – até 90% dessa avaliação é baseada em cores. A cor é uma consideração importante para o Marketing de Conteúdo.

🔗 A Psicologia das Cores no Marketing

Tons de azul podem ajudar a construir confiança e lealdade com seu público. O vermelho comunica energia e paixão, enquanto o amarelo pode indicar um aviso ou otimismo. Se você quer que sua marca evoque o respeito pela natureza, fique com tons de verde. Já o laranja dá sensação de diversão e alegria. Sempre considere que a cor pode ajudá-lo a evocar a emoção desejada no seu conteúdo.

Conclusão

A aplicação desses conceitos nos seus projetos levará tempo e estudo no começo. Mas antes que você perceba, esses princípios se tornarão parte natural do seu planejamento de conteúdo. É provável que você já esteja envolvido em pelo menos um desses princípios, mesmo que não seja uma escolha consciente.

No futuro, pense em como você pode usar esses princípios para proporcionar aos clientes uma experiência agradável com seu conteúdo.

Write A Comment