Compartilhe:

É difícil imaginar que ainda existam pessoas que enfrentam dificuldades para se mostrar no ambiente digital. Em meio ao excesso de exposição nas redes sociais, muitos ainda relutam em se mostrar para o mundo. Se para alguns é difícil passar um dia sem postar uma selfie nas redes sociais, para outros a luta é entre definir a identidade de marca e o medo de ser você mesmo.

O Desafio da Marca Pessoal

Trabalhar a marca pessoal pode ser algo desafiador para nossas emoções. Estamos presos em nossas próprias barreiras na hora de mostrar para o mundo quem somos.

“Quem sou eu para espalhar meu rosto nas redes sociais? Não quero dar a impressão de que estou me exibindo.”

“O que meus colegas de trabalho vão pensar? E meus amigos? O que meus clientes vão pensar?”

“E se alguém me achar um impostor por querer parecer um influenciador, sendo que na verdade sou uma pessoa comum vivendo uma vida normal?”

“Eu não sou atraente o suficiente. Não tenho uma personalidade forte e minha vida não é tão interessante assim.”

“Já tem tanta gente falando desses assuntos. Pra que eu vou falar também?”

“Não sei sobre o que falar. Não tenho um assunto que eu domine e ame para poder ensinar.”

A maioria passa por esses períodos de dúvida para definir a marca pessoal. E isso é totalmente normal. Uma das grandes dificuldades dos meus clientes na hora de desenvolver sua própria marca é um certo medo de mostrar seu rosto e nome.

Nada na vida é para ser temido.
É somente para ser compreendido.

Marie Curie

Eu também passei por muita insegurança e medo na hora de mostrar meu próprio rosto. Já escrevo neste blog por muitos anos, mas foi somente em 2016 que passei a mostrar meu rosto, aparecer em vídeos e fazer lives. Passei a maior parte da minha vida nos bastidores. Era onde me sentia confiante e confortável.

Eu entendo que seja uma questão de equilíbrio entre seu ego e humildade. Por isso que o autoconhecimento e a autocompaixão são tão importantes nessa hora.

O Desafio da Marca Pessoal

Identidade de Marca

Usar seu nome como sua marca o torna visível. Algumas pessoas precisam de um personagem ou um nome de marca para fazer as coisas funcionarem. Alguns artistas usam um pseudônimo ou nome artístico, e isso funciona para eles. Ajuda a manter sua vida pessoal separada da privada.

No entanto, no caso de figuras públicas, é mais complicado evitar usar seu próprio nome. Você quer ter certeza de que sua marca é confiável e para ser confiável é preciso se mostrar. Sim, isso significa seu nome, seu rosto e quem você é da maneira mais autêntica.

Você pode descobrir que, ao usar seu nome e rosto para definir uma marca, também precisa lidar com muitas inseguranças. É um processo muito delicado que fará você encarar coisas sobre si mesmo que pode ter guardado por anos. Toda vez que você vê seu nome sendo usado, você pode questionar se é bom o suficiente para ser usado como referência ou figura pública.

“Por que as pessoas querem aprender comigo ou sobre mim? Por que tenho autoridade para dizer o que estou dizendo?”

Medo de Ser Você

Não é incomum ter essas dúvidas e inseguranças. Quem tem coragem suficiente para se expor e compartilhar o que sabe, é porque entende a importância em fazê-lo. Somente quem sabe o seu propósito no mundo tem coragem de se expor.

Ayn Rand, Dale Carnegie, Napoleon Hill, Ana Hickmann, Oprah Winfrey e Martha Stewart. Não são apenas nomes de pessoas, são marcas.

Quando falamos o nome dessas pessoas, pensamos em marcas. O que essas pessoas tinham de tão importante para dizer ao mundo que se tornaram conhecidas? Que produtos, serviços ou ideias essas pessoas entregam ao mundo. Que diferença fazem na vida das pessoas? Como mudam o mundo?

Identidade de Marca e o Medo de Ser Você

A resposta está em acreditar em algo, de uma maneira tão clara e certa que é preciso falar sobre. Sentimos que precisamos compartilhar com o mundo as nossas descobertas ou nossos sonhos.

Todo homem constrói seu mundo na sua própria imagem. Ele tem o poder de escolher, mas nenhum pode escapar da necessidade de escolha.

Ayn Rand

Identidade de Marca e o Medo de Ser Você

Ser o rosto da sua marca exige coragem, mas é gratificante. Saiba como repensar sua identidade de marca e o medo de ser você mesmo.

Quanto mais você tenta, melhor fica e mais sua confiança aumenta.

Quanto mais você se posicionar, mais alcance terá e, de repente, terá um público genuíno e sentirá que está realmente ajudando alguém, isso tudo aumenta sua confiança.

Toda mudança é difícil no começo, bagunçada no meio e deslumbrante no final.

Robin Sharma

Conexões Emocionais

Quando seu rosto é a sua marca, as pessoas criticam você. Em vez de pessoas que criticam a empresa X, elas agora o mencionam seu nome. Você precisará desenvolver resiliência e antifragilidade.

A antifragilidade está além da resiliência. O resiliente resiste a choques e permanece o mesmo, o antifrágil melhora.

Você precisa aceitar que não é todo mundo que vai gostar das suas opiniões. E tudo bem. É importante saber que, embora algumas pessoas discordem de você, as pessoas que concordam são seus melhores clientes.

E mais, se não concordam, o fazem sem ataque. Eu costumo dizer que um cliente que reclama é um cliente que ainda me ama. Pois o cliente pode simplesmente pedir reembolso e sumir da minha vida. Agora, se ele se dá ao trabalho de me dizer porque está desapontado, ele quer meu bem, quer que eu melhore. E é justamente para isso que estamos aqui, não é mesmo? Para sermos melhores.

Identidade de Marca e o Medo de Ser Você

O Medo de Ser Visto

Mesmo quando temos sucesso, quase sempre escondemos uma parte importante de nós mesmos. Essa é a nossa parte da vida particular. E tudo bem também.

Porém, muitas vezes, suas posturas e opiniões ocultas são as que podem gerar mais retornos gratificantes e lucrativos para os seus negócios.

Pense quais são as partes da sua vida que influenciam diretamente em três aspectos diferentes: pessoal, profissional e particular. Essa questão, na hora de equilibrar sua identidade de marca e o medo de ser você mesmo, pode ser facilmente entendida e aproveitada. Mais uma vez, é o equilíbrio entre o ego e a humildade.

Ser o rosto da sua marca exige clareza, coerência e consistência. Seus valores guiam sua marca. Entenda o real motivo do seu medo para poder superá-lo. Não é tão difícil quanto parece e eu estou aqui para te ajudar.

Ouça o Podcast
Você pode ouvir o artigo no Podcast Branding Digital & Conteúdo.
Assine: Breaker | Google Podcasts | Pocket Casts | RSS | Spotify

Compartilhe:

Write A Comment