Compartilhe:

A personalidade da marca é um dos elementos centrais de sua identidade e imagem para delinear a percepção das pessoas sobre o seu negócio.

Personalidade da Marca

Sobretudo, é um conjunto de características humanas que são associadas a uma marca. Algo com o qual as pessoas podem se relacionar. A personalidade da marca é o que torna seu negócio humano aos olhos de seus clientes em potencial.

Como Definir a Personalidade da Marca

Então, se você pensa em sua marca como uma pessoa com traços de personalidade únicos, consegue se conectar com outros humanos (os clientes que deseja atrair) em um nível emocional.

Resumindo, ao definir a personalidade da sua marca, você dará às pessoas um motivo para escolher você.

É importante porque a emoção impulsiona a tomada de decisão.

Quando estamos falando de marcas pessoais, é muito mais fácil fazer essa comunicação, mas quando se trata de marcas corporativas, fica um pouco mais difícil.

A marca comunica sua personalidade por meio de sua voz, recursos visuais e até mesmo pelo atendimento ao cliente. Tudo que você faz, mostra ao seu público como é a experiência de ser seu cliente. Portanto, se sua marca não tem uma personalidade definida, as pessoas terão muito mais dificuldade em chegar à conclusão de que você é a melhor escolha para elas.

Pontos de Atenção na Personalidade da Marca

Pontos de Atenção na Personalidade da Marca

Embora a estratégia possa variar de empresa para empresa, os objetivos reais da personalidade da marca permanecem consistentes. Sempre deve refletir seus objetivos de negócios e a cultura da empresa, seus valores.

Você precisa se destacar para ser lembrado.

Todo negócio diz ser o melhor em sua área de atuação, mas dizer não basta. Precisa provar que é. Assim como uma pessoa real, se sua marca mentir, as pessoas vão descobrir.

Quando falamos que alguém é nosso melhor amigo, será que essa pessoa passaria em testes e receberia uma medalha de “o melhor amigo do mundo”?

Claro que não. Seu amigo é o melhor amigo do mundo, para você. Assim acontece com as marcas. A escolha é pessoal e emocional. Muitas vezes a marca mais amada não é realmente a melhor em desempenho e competência. Entretanto, é a que melhor atende aos desejos e necessidade do cliente que a escolheu.

Além disso, as pessoas esperam que as marcas com as quais fazem negócios sejam especialistas em sua área de atuação. Uma personalidade de marca que mostra quem é de forma confiável e prestativa atrairá mais negócios.

Identidade ou Personalidade?

De maneira resumida, a identidade da marca é a combinação de elementos que uma empresa cria para retratar uma imagem para seu cliente. Por outro lado, a personalidade da marca se refere às atitudes, características e emoções associadas a uma marca.

A personalidade faz parte da identidade, na medida em que a marca trabalha para alcançar essa percepção. Porém, também está na imagem, já que o cliente é ativo nessa relação.

Dimensões da Personalidade

Jennifer Aaker, em seu artigo Dimensions of Brand Personality, desenvolveu uma estrutura para a personalidade da marca, determinando cinco dimensões que os consumidores percebem (sinceridade, agitação, competência, sofisticação e robustez).

Cada dimensão tem seus próprios traços de personalidade e pontos fortes. Por isso, seguindo esta estrutura, sua marca deve se enquadrar em uma das categorias, com cerca de 3 a 5 adjetivos que você gostaria que seus clientes usassem ao descrevê-la

No livro A Psicologia das Cores no Marketing, eu traço um paralelo entre este estudo e as cores. Em resumo, uma estrutura simples que vai te ajudar a se destacar de seus concorrentes.

Dimensões da Personalidade

Arquétipos de Marca

Outra maneira de definir a personalidade da sua marca é por meio dos arquétipos.

Todas as marcas que nos sensibilizam em um nível mais profundo contêm uma história criada em torno de uma personalidade movida pela emoção. Sem este elemento, simplesmente não seríamos capazes de ter um relacionamento emocional com a marca.

Mesmo Produto, Personalidade Diferente

No ambiente cada vez mais transparente e global em que vivemos, as características racionais dos produtos concorrentes são simples de comparar. Com efeito, a história em torno da marca torna-se cada vez mais o único fator relevante pelo qual o comprador pode diferenciá-la.

Jung definiu 12 arquétipos principais para categorizar nossas motivações como seres humanos. Claro, somos seres únicos, mas temos semelhanças. E é isso que a teoria de Jung explica. De maneira geral, cada um de nós tem pelo menos um arquétipo dominante que se manifesta fortemente na maneira como nos comportamos.

O estudos dos arquétipos é antigo, vem desde o filósofo grego Platão e passa pelo psiquiatra suíço Jung. Porém, sua relação com as marcas é algo mais recente.

Psicologia e Branding

Se você já acompanha meu blog, sabe que os conceitos e teorias mais importantes e impactantes no Marketing e no Branding são baseados na psicologia humana. Nosso trabalho é entender os humanos e dar a eles o que desejam.

Uma das coisas mais importantes que as pessoas desejam é se relacionar. As marcas falam com os humanos o tempo todo. Isto é interação humana. Para um ser humano interagir, ele precisa se relacionar com quem está interagindo. As marcas sempre farão o possível para se parecerem com os humanos, assim se tornam identificáveis.

É assim que os arquétipos de marca nos ajudam a entender como tudo isso acontece. Eles conectam a marca com seu público e a diferenciam da concorrência.

http://t.me/brandingdigital

Os negócios que conseguem ir além de apenas vender produtos e serviços são os mais valiosos. Transformar negócios em marcas, com personalidade humana é um dos mandamentos do branding emocional propostos por Marc Gobé.

Os 10 mandamentos propostos por Marc Gobé são:

Consumidores ➜ Pessoas: Comportamento do Consumidor é Sobre Pessoas

Honestidade ➜ Confiança: Como as Marcas Podem Gerar Confiança

Produtos/Serviços ➜ Experiência: Experiência do Cliente Significa Encantar Pessoas

Qualidade ➜ Preferência: Branding e Inovação: Problemas São Oportunidades

Notoriedade ➜ Aspiração: Como Humanizar Sua Marca e Criar Conexões

Identidade ➜ Personalidade: Como Definir a Personalidade da Marca

Funcionalidades ➜ Sentimentos: A funcionalidade de um produto trata apenas de qualidades práticas ou superficiais. O design sensorial é sobre experiências.

Visibilidade ➜ Presença: Alta visibilidade não é suficiente, as marcas precisam de presença emocional.

Serviço ➜ Relacionamento: Venda é serviço. Relacionamento é reconhecimento.

Comunicação ➜ Conversa: A comunicação não deve ser apenas falar. Conversar é compartilhar.

Compartilhe:

Write A Comment