Compartilhe:

Existe muita confusão em torno de vários termos usados no marketing. O que é irônico, pois grande parte desta disciplina envolve comunicação clara. Para acabar com a dúvida, vamos entender a diferença entre arquétipo e brand persona.

Já sabemos que o marketing faz uso de muitos termos. Como leads qualificados, taxa de conversão ou custo por clique… mas frequentemente não temos um sistema para garantir consistência em seu uso. Então, os significados se tornam imprecisos. O que resulta em um monte de jargões sendo mal utilizados.

Qual a Diferença entre Arquétipo e Brand Persona

Quer confirmar isso? Pergunte a cinco profissionais diferentes o significado de “marca”. Nem preciso te contar o que vai acontecer, certo?

Tudo bem que o marketing não é uma ciência exata, mas precisamos do mínimo de concordância para definir uma estratégia eficaz.

Os termos “arquétipos” e “personas” são ótimos exemplos. Mesmo assim, muitas pessoas pensam que são sinônimos.

Diferença entre Arquétipo e Brand Persona

As palavras arquétipos e personas são, em alguns momentos, muito próximas. Isto porque seu objetivo no marketing é humanizar a marca. Porém, usar essas duas palavras de forma totalmente intercambiável rouba o poder de ambas.

Por exemplo, ao falar sobre Buyer Personas, Adele Revella usa a palavra arquétipo. Nesse caso, ela está empregando o termo segundo a definição do dicionário. Ou seja, “Modelo ou padrão passível de ser reproduzido em objetos semelhantes.”

Entretanto, não podemos esquecer que existe uma segunda definição de arquétipo, que é muito mais comumente usada no marketing. Por isso, usar uma definição menos comum de arquétipo para explicar personas se torna confuso.

Então, vamos revisar algumas definições.

O Que é uma Persona?

Em marketing, “persona” é um termo especialmente usado para descrever um segmento de clientes. Entretanto, existem 4 personas no marketing que não podem ser esquecidas e nem devemos misturar seus significados.

🔗 Brand Persona: A Personalidade da Marca

Seu arquétipo de marca não é sua brand persona

Para identificar as buyer personas, procuramos padrões de motivação, atitudes e comportamentos que já existem entre um determinado grupo (audiência, usuários ou compradores). Independentemente da abordagem, o objetivo é o mesmo: identificar um padrão significativo que nos permite prever as ações dos outros, para que possamos ajustar nosso próprio comportamento.

O Que é um Arquétipo?

Quando falamos em arquétipos no marketing, estamos fazendo referência aos padrões reconhecidos como o Amante ou o Herói, por exemplo. Ou seja, os Arquétipos de Marca. Tudo isso é baseado no trabalho de Margaret Mark e Carol Pearson, que identifica e descreve doze arquétipos.

Seu arquétipo de marca não é sua brand persona.

Isto porque um arquétipo não é uma personalidade. Por outro lado, é o princípio que influencia a personalidade. Além disso, a personalidade não se baseia em apenas um arquétipo. Um arquétipo pode dar pistas de um estilo de personalidade, isto porque anuncia motivações primordiais do ser humano.

Sendo assim, um arquétipo não se limita por suas representações na forma de deuses, mitos ou personagens.

Se você aplicar esta abordagem, vai descobrir que sua marca tem um arquétipo dominante e dois auxiliares. Isto é uma grande vantagem competitiva para a personalidade da marca. Assim sendo, ao detalhar cada arquétipo, encontramos muitos adjetivos que podem ser usados como traços de personalidade.

Qual é o objetivo de definir a personalidade da marca

Qual é o objetivo de definir a personalidade da marca?

Em suma, vai facilitar todo seu trabalho de comunicação. É uma das ferramentas mais úteis para colocar sua estratégia em ação. Em outras palavras, você pode instruir designers e redatores sobre como a marca deve se comunicar.

Além disso, é difícil transmitir muito significado em uma única palavra. Em vez de limitar a personalidade a palavras soltas, recomendo mergulhar no significado de cada uma. Exemplos, metáforas e analogias são ótimos para isso. Logo, tenha um quadro de inspiração.

E para finalizar, vamos a um resumo bem simplificado para que tudo fique mais claro.

ArquétipoPersonalidade
InocenteOtimista e Sincera
ExploradorIndividualista e Aventureira
SábioAnalítica e Confiável
HeróiDesafiadora e Energizante
RebeldePolêmica e Indecorosa
MágicoInspiradora e Profunda
Pessoa ComumAmigável e Autêntica
AmanteSensorial e Cativante
ComedianteBrincalhona e Impulsiva
CuidadorCarinhosa e Tranquilizadora
CriativoVisual e Imaginativa
GovernanteArticulada e Refinada

Então, como a personalidade da marca pode impulsionar a expressão visual, sensorial e verbal, é importante que esses traços sejam precisos. Mais do que precisos, na verdade, eles devem ser úteis e abrangentes.

Por fim, espero que este artigo tenha te ajudado a entender a diferença entre apenas identificar seu arquétipo dominante e ter um perfil arquetípico da marca detalhado. Para tanto, entre em contato comigo que eu vou te ajudar!

http://t.me/brandingdigital
Compartilhe:

Write A Comment