Compartilhe:

Qual é a melhor estratégia, estabelecer sua marca pessoal ou sua marca corporativa? Resposta curta: depende.

Quando você administra uma empresa, pode ser difícil decidir se vai trabalhar em suas contas de mídia social como você mesmo ou como a empresa que você representa.

Ainda que você não seja um empreendedor ou não tenha uma empresa. Todos têm um projeto que consideram representar suas paixões e interesses. Com isso, buscam por um espaço no ambiente digital.

Então, isso é algo que todos ficam em dúvida. Até mesmo profissionais de Marketing me procuram com essa hesitação.

Devo trabalhar minha marca usando meu próprio nome ou usar um nome fantasia?

Devo trabalhar minha marca usando meu próprio nome ou usar um nome fantasia?

Agora que um perfil digital pode ser visualizado por qualquer outra pessoa, seja um empregador avaliando uma possível contratação pesquisando sua conta no LinkedIn ou um cliente procurando contratar um prestador de serviço.

Todos, pessoas e empresas, têm uma marca, queiram ou não. Ao ignorar esse fato, você pode estar, sem saber, deixando uma mancha terrível para você ou sua empresa, e isso não é bom para os negócios.

Portanto, preste atenção às marcas que você representa – dependendo do tipo de trabalho que você executa, elas podem ser pessoais, comerciais ou ambas, e cada uma tem sua essência.

Se você é a pessoa por trás dos negócios, seja um freelancer, um profissional liberal ou um consultor, seu trabalho é sua vida e sua vida é seu trabalho. Digo isso porque sua marca pessoal segue você por onde quer que você vá. Estabelecer seu nome como um especialista na sua área é importante.

Não se esqueça de que sua marca pessoal pode incluir um logo, um slogan, um site, um esquema de cores e fontes e muito mais. Felizmente, as ferramentas para criá-las são abundantes e até mesmo gratuitas.

Círculo Dourado e Marca Pessoal

As pessoas compram de pessoas

Se você administra uma pequena empresa, muito provavelmente você contratou outras pessoas que fazem o que você faz. Mas você é tão bem sucedido no que faz que você e sua empresa são considerados a mesma coisa.

Você tem uma empresa inteira para administrar, e é por isso que você contratou os outros profissionais – você não pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo. Nessa situação, é útil desenvolver a marca corporativa com o objetivo de torná-la mais visível do que a sua marca pessoal. Dessa forma, sua empresa é quem o cliente contrata, com menos expectativas de ter sua atenção pessoal.

Os outros profissionais na sua empresa também precisam apoiar a marca, representando seus produtos e serviços de maneira apropriada para a marca, quer estejam em público a negócios ou desfrutando de algum tempo pessoal.

Uma marca (pessoal ou empresarial) é simplesmente o modo como você se distingue dos outros.

Se você estiver se diferenciando de outra pessoa, essa é sua marca. Algumas pessoas acham que uma marca é apenas um logo. Não é.

Sua Marca Pessoal ou Sua Marca Corporativa

Uma das primeiras decisões que você precisa tomar ao pensar em uma marca para o seu negócio é se você quer construir sua marca pessoal ou sua marca corporativa (empresarial).

Uma marca pessoal é construída em torno de você, pessoalmente. Geralmente, significa que você divulga sua empresa com seu nome. Existem pontos positivos e negativos para isso, e nós os analisaremos mais para a frente.

Uma marca corporativa é construída em torno de uma identidade que você cria para sua empresa. Em geral, você precisa criar um nome para sua empresa que seja independente do seu nome pessoal. Mais uma vez, há prós e contras e abordaremos cada um deles a seguir.

Quando chegar a hora de criar sua marca, você precisará pensar em quem é seu cliente ideal, qual será sua proposta de valor e o motivo pelo qual sua empresa será conhecida.

Passar por este processo irá ajudá-lo a criar uma visão para onde você quer levar o seu negócio que vai muito além do nome da sua empresa e seu slogan.

Marca Pessoal

É mais fácil do que nunca construir uma marca pessoal. Especialmente com as ferramentas que temos disponíveis no ambiente digital. Entre sites e blogs pessoais e contas de mídia social, pode ser até mais fácil criar uma marca pessoal do que uma marca empresarial. Porém, existem algumas razões para evitar, então continue a ler.

Prós da Marca Pessoal

Marcas pessoais são flexíveis. Marcas pessoais geralmente usam o nome do proprietário da empresa para criar a marca da empresa, do website e das ofertas (sejam elas produtos ou serviços).

Isso significa que, se o foco mudar e você começar a oferecer algo diferente do que ofereceu no início, poderá adaptar suas ofertas sem precisar alterar o nome do seu negócio.

Marcas pessoais são ideais se você deseja desenvolver uma carreira de palestrante ou consultor. É difícil associar seu nome à sua área de especialização (no começo), mas, depois de fazer o trabalho, você será visto como alguém que os outros desejam ouvir.

Marcas pessoais são perfeitas para “indústrias de uma só pessoa”.

Se você é um artista, autor, palestrante profissional liberal ou técnico, uma marca pessoal forte impulsionará seus negócios e atrairá novos clientes e potenciais interessados.

Contras da Marca Pessoal

O nome da sua empresa não indica o que você faz. Você precisa associar seu nome pessoal ao que você oferece. Isso pode ser feito com um forte slogan que você usa consistentemente em tudo que faz.

Você também pode associar o que você oferece ao seu nome pessoal escrevendo artigos em blogs, dando entrevistas, criando postagens de mídia social e agendando palestras sobre sua área de especialização.

Você precisará fazer isso até que as pessoas associem seu nome ao que você deseja que seja conhecido.

É mais difícil vender um negócio de marca pessoal.

Eu sei, eu sei. Quando eu comecei a oferecer meus serviços de Marketing como autônoma, em 2009, os gestores queriam saber onde era minha empresa, quantas pessoas eu tinha trabalhando comigo, e etc. Ou seja, eu precisava provar que eu realmente estava levando as coisas a sério.

Se você suspeitar que existe uma possibilidade remota de que seja realmente muito difícil vender usando seu próprio nome, reconsidere a criação de uma marca pessoal e crie uma marca empresarial.

Geralmente nós temos muitas particularidades diferentes na nossa personalidade e queremos poder falar sobre todas elas. É por isso que acho que seguir com o seu nome como marca é a coisa certa a fazer. Seu nome se mantém com você. Há consistência. Você não precisa de rebranding. Eu não tive que mudar meu nome de o cara do vinho para pergunte pro cara.(Gary Vaynerchuk)

Marca Corporativa

As marcas empresariais precisam de mais trabalho inicial, porque em vez de usar o nome com o qual você nasceu, você precisa criar um a partir do nada. Isso significa criar palavras significativas e é um trabalho árduo. Mas pode valer a pena o esforço.

🔗 Como Escolher o Melhor Nome para sua Marca

Prós da Marca Corporativa

Criar uma marca corporativa força você a pensar em seus planos para o seu negócio. Quando chegar a hora de criar um nome comercial, você precisará pensar em um nome que reflita tudo que você tem em mente para seus negócios.

Marcas corporativas são mais fáceis de vender. A maioria das empresas tem um ciclo de vida. Quando você quiser vender sua empresa – porque seus interesses mudaram. Você quer se mudar ou você está pronto para se aposentar – será mais fácil vendê-la para outra pessoa se você tiver criado algo que não esteja associado a um nome pessoal.

Ou até mesmo se você se afastar da empresa. Se você quiser que outras pessoas sigam com a administração sem você. Ficará muito mais fácil se for uma marca sem seu nome. Obviamente.

Contras da Marca Corporativa

É um trabalho difícil construir uma marca empresarial. Você tem que criar um nome de marca em um momento em que você ainda pode estar tentando decidir o que sua empresa oferecerá e quem será seu cliente ideal.

Marcas comerciais não são tão flexíveis se seus interesses mudarem.

Se você decidir mudar de rumo e oferecer algo completamente diferente, talvez seja necessário iniciar um segundo negócio se não estiver relacionado ao nome da sua empresa.

Geralmente, você pode criar um nome que descreva o campo geral em que seus produtos e serviços se encaixarão. Em seguida, você poderá ser mais específico com seu slogan, o que é fácil de mudar. Mas se você mudar seu campo de interesse completamente, seu nome pode não funcionar mais.

Claro que existem estratégias na arquitetura de marcas e eu explico tudo isso em mais detalhes no meu curso Branding Digital: Estratégias de Marcas e Negócios.

Marca Corporativa

Existe um meio termo?

Claro que existe a união das duas propostas.

Como eu disse no começo deste artigo, a melhor estratégia depende de vários fatores.

Podemos construir nossa marca empresarial e, ao mesmo tempo, trabalhar para estabelecer nossa autoridade pessoal em torno de um tópico.

Como?

Digamos que você tenha uma agência de comunicação, você pode trabalhar sua marca pessoal enquanto seus colaboradores trabalham a marca da agência. As duas marcas vão se reforçar. Uma vai amplificar a outra.

Sua autoridade pessoal cresce junto com a consciência da sua marca corporativa.

Se você não consegue decidir entre sua marca pessoal ou sua marca corporativa, essa abordagem pode ser mais flexível. Vai ajudar sua empresa a vencer no ambiente digital porque é uma combinação perfeita de autoridade, personalidade e engajamento.

Se você quer construir um negócio baseado no seu estilo de vida, considere a possibilidade de construir uma marca pessoal. É mais fácil de construir e você pode ganhar bastante dinheiro com palestras, consultorias ou parcerias. Mas se você quiser construir uma coisa grande, uma coisa que sobreviva e siga evoluindo sem você, então concentre-se em construir uma marca corporativa. (Neil Patel)

Sua Marca Pessoal ou Sua Marca Corporativa – Seja Autêntico

A boa notícia é que, se você for fiel a si mesmo, sua vida pessoal e sua vida profissional estarão alinhadas. Você não terá o que temer para proteger sua empresa.

No mínimo, você precisa manter seu perfil no LinkedIn atualizado, incluindo uma ótima foto. Tome muito cuidado com impulsos de compartilhar ideias e pensamentos nas redes sociais que possam ser mal-interpretados.

No geral, quando lidamos com o dilema da marca pessoal ou marca corporativa, ambas são importantes, mas por razões diferentes.

Nenhuma deve deve ser ignorada. No entanto, uma delas será o centro das atenções. Dependendo dos seus objetivos: construir um negócio, procurar trabalho, vender seus serviços…

São as pessoas, não os logos, que inspiram a fidelidade do cliente.

Existem muitos casos de sucesso que podem ser facilmente encontrados nas redes sociais. Muito provavelmente você se inspira e segue profissionais e empresas nas redes sociais. Combine suas inspirações e aspirações para elaborar a melhor estratégia para seu negócio.

Quais suas considerações? Já passou por esse momento de dúvida? Atualmente você está divulgando sua marca pessoal ou sua marca corporativa? Escreva nos comentários qual sua opinião sobre esse assunto.

Compartilhe:

3 Comments

  1. Gamito Posse Reply

    Parabéns!
    Tive o privilégio de ler o teu artigo, é muito interessante, fácil de ler, acessível e com muita informação.
    É fácil ver aplicação prática da suas lições.

    Gamito Posse

Write A Comment